segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Momento sem noção

Hoje vivenciei o meu momento mais joselita-sem-noção da face da terra (para quem não sabe, "joselito sem noção" era um personagem da MTV). Em uma livraria perto de casa, totalmente desligada, pergunto para a vendedora sobre o livro "Quarenta motivos para não ter filhos". Quando olho em volta, me dou conta de que metade da livraria é voltada para crianças, com banquinhos, mesinhas coloridas e tudo mais. A vendedora, é claro, olhou com cara de espanto e respondeu, obviamente, que não. Ao perceber a minha gafe sem tamanho, uma mulher, com um filho pequeno, tentou ajudar:"eu ouvi muito mais do que 40 motivos". Sorri amarelo, botei meus óculos escuros e fui embora sem olhar para trás. Em tempo: o que não faz uma mulher com os hormônios em ebulição!

8 comentários:

Carlos Henrique - Petrópolis disse...

A gente sabe que acontece com qualquer um, mas mesmo assim, nessas situações dá vontade de desaparecer. Na adolescência, lembro que cheguei cedo a uma festa em um clube, e quando as pessoas começaram a chegar, descobri que a festa para a qual fui convidado estava prevista para a semana seguinte. Mesmo sem conhecer ninguém, fiquei super constrangido e fui embora. Se fosse hoje, eu só sairia da festa depois de cantar "parabéns" e comer o bolo.

Ana Duarte disse...

Bárbara,
Escrevo o Comunicação de 4 com os meninos da UERJ e gostei muito do seu blog, me divirto aqui com seus posts inteligentes e bem-humorados.
Tenho outro blog, o Duas, com temática lésbica e nele recebi uns selos de "qualidade" que devo repassar aos blogs que gosto e leio.
Inclui o Só pra Barbarizar na lista, dá uma olhada, mas não se sinta na obrigação de passar adiante, ok? rs
Abraço
www.blogduas.blogspot.com

Afrodite disse...

Ninguém deve julgar uma mulher que resolve não ter filhos!
Por acaso é obrigatório tê-los?
Agora, o mico que vc pagou foi engraçado...mais atenção na próxima vez pois
algumas mulheres são radiais nesse assunto(o que nao chega a ser o meu caso) e não elvam na esportiva esse tipo de comentário!
Bjo!

Afrodite disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kika Gada disse...

Ah, amiga. Se te consola, nem achei tão grave assim. E você ainda teve sorte de contar com o humor da colega. Admiro quem tem coragem de dizer, ou ao menos pensar, coisas do tipo: não quero ter filhos, não quero casar. Clap, clap, clap a você!!!!!

Bárbara Pereira disse...

Pessoal,

demorei para responder porque estava no meio de um turbilhão de tarefas. Vamos lá;

Carlos: a maturidade é o melhor dos mundos, não é mesmo? é claro que fiquei sem graça na livraria, mas acho que hoje levo um pouco mais a vida na flauta.


Ana: fico realmente feliz quando alguém diz que gosta do que escrevo. Só tenho a agradecer a vc por recomendar o barbarizar no seu blog. Visitarei vc sempre. Valeu!


Afrodite: seja bem-vinda! Embora respeite opiniões divirgentes, não tenho receio dos radicais não. Acho que esse é um assunto que tem me chamado muito a atenção, principalmente porque tenho percebido que há um padrão definido e que temos que cumprir. Quem não cumpre tem problemas. Já percebi muitos olhares estranhos que denunciam um pré-conceito de que "mulher que não tem filhos tem algum problema". Precisamos, sim, desconstruir qualquer estereótipo. Obrigada pela visita. A propósito, já visitei seu blog e achei muito picante e, por isso, muito legal! Parabéns!

Kika: como disse para Afrodite, tenho andado muito irritada com a idéia de que a mulher tem um papel definido na sociedade e que precisa ser encenado porque, senão, ela está fora do elenco, entende? Abraços e saudades!

Surfista disse...

Ganhando selinhos, Bárbara? Parabéns! Você merece...

Bom, sobre sua gafe, foi algo do tipo Família Addams, não? Foi uma joselitagem genial!

Aliás, achou o tal livro?

Bárbara Pereira disse...

Oi Surfista,

depois desse furo, resolvi comprar o livro pela internet...rs