sábado, 10 de maio de 2008

Loucura, loucura, loucura


O que foi o capítulo de Duas Caras hoje? Duas senhoras, vestidas para um baile ou para uma festa cheia de pompa, resolvem andar no calçadão como se fosse a coisa mais natural do mundo caminhar naqueles trajes na beira da praia. E mais: uma delas apanha absurdamente de dois ladrões e a outra resolve pegar em um microfone para protestar? Como assim? Que amiga é essa que não se preocupa em socorrer alguém que acabou de ganhar um sacode? Que amiga é essa que não chama o corpo de bombeiros ou qualquer outro tipo de ajuda? Sei não. Achei um enredo meio estapafúrdio: a mulher tem um surto de BASTA, passa a mão em um microfone de um carro de pamonha e resolve gritar para os ricos da Zona Sul que o bicho tá pegando... Não sei se fiquei tanto tempo sem ver novela e desacostumei, mas o fato é que as loucuras dos novelistas deveriam virar tese de psiquiatria. De onde eles tiram tantas histórias sem sentido? Ou os loucos somos nós que, mesmo afrontados, continuamos a dar audiência para esse pessoal? Controle remoto neles!!!

4 comentários:

Murilo Ribeiro disse...

Cálega, por essas e outras que, contrariando o que o Gonzaguinha diz na abertura, "eu NÃO acredito NESSA rapaziada..."

Bárbara Pereira disse...

Pois é, Cálega. é por essas e outras que resolvi fazer algo mais produtivo: olhei para a minha estante e hj sou mais feliz!

obrigada pela visita!

bjs

Kika Gada disse...

Acho que a intenção era ótima, mas foi feito pessimamente, sem nenhum cuidado ou riqueza de roteiro. Nota zero.

Bárbara Pereira disse...

Kika,

faz muito tempo que esse pessoal está cheio de boas intenções. Lembro de uma novela de Glória Perez em que a personagem, uma criança cega, se perdeu no Grajaú e foi parar no mar do Leblon. Como essa mágica aconteceu eu não sei. O pior é que ela quase se afoga e é salva por outro cego. Ou seja, o samba do enredo doido!!!

como diz o José Simão: só pingando o colírio alucinógeno.